Skip to main content

Os custos de produção continuam sendo o principal fator de preocupação para os produtores de carne, seja ela bovina, suína ou de frango. O assunto é tema de discussão do Sétimo Workshop de Suprimentos, na cadeia de produção animal, que ocorre em Foz do Iguaçu, no Paraná, e reúne as principais empresas do setor no País.

Os custos de produção de frangos e suínos, calculados pela Embrapa, voltaram a subir em setembro. Para o frango a alta chegou a 4,73% em comparação com agosto, o terceiro maior valor do ano. Para o suíno o aumento é de 1,25%, o segundo maior valor do ano. Em relação ao mesmo período do ano passado, os custos para o frango apresentam queda de 15%, e para os suínos, o recuo foi de 6%.

Empresas da cadeia de produção de proteína animal estão reunidas para promover a visão estratégica de suprimentos. Segundo o gerente de compras Cooperativa Lar, Jair Meyer, existe a expectativa de que os custos possam cair no ano que vem, principalmente com a redução de preços dos grãos para a ração.

A boa notícia que beneficia a bovinocultura de leite e de corte neste final de ano é a redução do imposto sobre o farelo de soja. A desoneração do PIS/Cofins já está valendo, assim como acontece no farelo para a ração de aves e suínos. O sócio da MBAgro, Alexandre Mendonça Barros, diz a pecuária tem outro bom motivo que deve influenciar na redução dos custos: a melhoras das condições do pasto em todo o País.
 
Fonte: Rural BR