Com apenas 451 mil toneladas, as exportações de carnes de outubro passado registraram o menor volume dos últimos cinco meses. Influência, principalmente, dos embarques de carne de frango, cujo volume recuou 10,4% e 9,5% sobre, respectivamente, o mês anterior e o mesmo mês do ano passado.
No tocante ao preço médio recebido, as três carnes perderam. Em relação ao mês anterior, a maior perda recaiu sobre a carne bovina (quase 9% a menos que em setembro). Já em comparação ao mesmo mês do ano passado, o recuo maior foi o da carne suína, com preço 41% menor. O preço médio da carne de frango in natura recuou 22%, enquanto o da carne bovina teve queda próxima de 17%.
Nesse oceano de resultados negativos não há como contar com uma receita cambial também negativa. A regra teve uma exceção – da carne bovina. Que, graças a um volume 13% maior que o do mês anterior, obteve um ganho de receita de 3%. Mas isso não impediu que o resultado global de outubro apresentasse recuo, ligeiramente superior a 5%. 
Porém, significativamente maiores continuam sendo as quedas em relação ao mesmo mês do ano passado. Na média, a receita cambial das carnes recuou 27%. Mas com a carne de frango esse índice superou os 29,5% e, com a carne suína, ficou próximo de 41%.
 
Fonte: Avisite