A recuperação da receita cambial e a elevação dos níveis de embarques vêm favorecendo as previsões das exportações de carne de frango para 2014. De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), no mês de agosto foi registrada ligeira redução em volume – de 0,4%, com 332 mil toneladas -, mas com considerável crescimento em receita – de US$ 674,6 milhões, número 5,4% maior em relação ao oitavo mês de 2013. 

Já no acumulado do ano, o ritmo dos embarques da carne de frango é positivo em 1,7%, com total de 2,605 milhões de toneladas. O desempenho em receita, entretanto, registrou redução de 4,6%, com US$ 5,163 bilhões entre janeiro e agosto de 2014.

Os cortes se mantiveram como principal produto da pauta exportadora do setor, entre janeiro e agosto. Conforme a ABPA, foram embarcadas 1,423 milhão de toneladas no período, dado 3,9% maior na comparação com o ano anterior. Já em frango inteiro, segundo item da pauta, foi registrada queda de 2,2%, com 954 mil toneladas embarcadas. Carnes salgadas, com 123,1 mil toneladas (+5,7%) e industrializados, com 104,3 mil toneladas (+4,2%), completam a lista.

Dentre as regiões importadoras, o Oriente Médio continua como maior destino da carne de frango brasileira, com 911,4 mil toneladas embarcadas entre janeiro e agosto deste ano, resultado 8,1% menor em relação ao mesmo período de 2013. A Ásia, na segunda posição, apresentou elevação de 7,5%, com 777,7 mil toneladas. Para a África, consolidada como terceiro maior destino em volumes, foram embarcadas 328,8 mil toneladas (-6,1%). Em quarto lugar, a União Europeia (UE) foi responsável pela importação de 276,3 mil toneladas de carne de frango brasileira, resultado ligeiramente maior em relação ao ano anterior (+0,4%). Para os países das Américas foram embarcadas 245,3 mil toneladas, número 49,5% maior em relação ao ano anterior. Por fim, para a os países da Europa que não fazem parte da UE, foram exportadas 64,4 mil toneladas, volume 13,5% maior em relação aos oito primeiros meses de 2013.

Conforme o presidente-executivo da ABPA, Francisco Turra, o desempenho acumulado do ano tem sido influenciado pela forte elevação em mercados de médio e grande porte. "Foram notáveis o desempenho da China, com elevação de 20% nos embarques após a habilitação de cinco novas plantas, e da Venezuela, que quase dobrou as compras de carne de frango brasileira. Mercados de médio porte, como Vietnam, Angola e México, também se destacaram neste contexto", ressalta.

Para a Rússia, foram embarcadas, entre janeiro e agosto, 38 mil toneladas – número 36,4% maior em relação ao embarcado no mesmo período de 2013. Tal crescimento, no entanto, ainda não é resultado direto das autorizações de novas plantas efetivadas pelas autoridades russas, no início de agosto. "Comparando-se os meses de julho e agosto, houve elevação de 15,6% nos volumes exportados. Estes embarques seriam ainda maiores se várias plantas habilitadas fossem certificadas pelo MAPA para exportar, o que ainda não aconteceu", apontou Turra.

Conforme explica o vice-presidente de aves da ABPA, Ricardo Santin, o aumento na demanda destes mercados de médio e grande porte deverá assegurar o ritmo de alta em 2014, apesar das reduções vistas em mercados do Oriente Médio. "Mantidos os níveis de elevação dos embarques apresentados até aqui para o segundo semestre, é provável que nosso crescimento fique em torno 3%, conforme temos previsto", ressalta.

A Arábia Saudita foi o maior importador de carne de frango do Brasil entre janeiro e agosto deste ano, com 433,6 mil toneladas (-6% em relação ao mesmo período do ano passado). Vista como "mercado-único", a União Europeia manteve-se como segundo maior destino (276,3 mil toneladas, com +0,4%). O Japão, na terceira posição, importou 269,4 mil toneladas (+4,9%). No quarto posto, Hong Kong foi responsável por 211,2 mil toneladas do saldo geral do ano (-2,7%). Em quinto, os Emirados Árabes Unidos totalizaram 170,2 mil toneladas embarcadas (-1,1%).
 
 
Fonte: ABPA