Representantes do Conselho de Pecuária de Corte do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Animal do RS (Fundesa) decidiram na última terça, dia 23, retomar os trabalhos para a realização do diagnóstico da situação de abatedouros e frigoríficos do Rio Grande do Sul. O levantamento estava em fase de estruturação e agora os componentes do grupo buscam fontes de financiamento para colaborar no custeio.
 
O objetivo é conhecer a realidade do setor para a definição de estratégias para revitalizar as plantas. Conforme o presidente do Fundesa, Rogério Kerber, “desta forma será possível contribuir para o atendimento integral a todas as normas oficiais de abate.” A expectativa do grupo é de concluir o estudo nos próximos meses.
 
O Fundesa é um fundo privado, criado em 2005, com a missão de propor e apoiar o desenvolvimento de ações de defesa sanitária animal, além de garantir agilidade e rapidez na intervenção em casos de eventos sanitários. Os recursos do fundo são obtidos através da contribuição do produtor e da indústria, pelo abate ou produção nas cadeias de pecuária de corte e leite, avicultura e suinocultura.
 
Fonte: Rural BR