Skip to main content

A demanda mundial por proteína animal aumentará 20,4% nos próximos anos, passando de atuais 280 milhões de toneladas para 337 milhões de toneladas em 2020. A carne de aves será responsável pelo maior crescimento, com avanço de cerca de 40%, por ser o segmento mais competitivo em termos de preços.

 
Os dados são das consultorias Agroconsult e Bigma, que serão apresentados nesta quarta-feira a pecuaristas da região de Xinguara, no Estado do Pará, pela Equipe 2 do Rally da Pecuária 2012, com participação da “Agência Estado”.
 
No Brasil, o consumo crescerá dos atuais 26 milhões de toneladas para 33 milhões de toneladas no mesmo período. Diferentemente do mundo, será a carne bovina que puxará esse crescimento no País, com avanço de 40%, passando de 9,33 milhões de toneladas para 13,08 milhões de toneladas.
 
“Para atender a demanda, principalmente impulsionada pelos países emergentes e pelo aumento da urbanização, vamos ter de aumentar o abate dos atuais 39,64 milhões de cabeças/ano para 53,63 milhões de cabeças em 2022″, disse o diretor da Bigma Consultoria, Maurício Palma Nogueira.
 
Entretanto, os pecuaristas brasileiros terão de superar as pressões por terra – competição de área com a agricultura – e também as econômicas. “O ritmo de produtividade precisa aumentar para o País produzir mais em pouco espaço. Para a produção se tornar mais eficiente é fundamental o uso de tecnologias e melhores práticas em manejo de gado e recuperação de pastagem”, ressaltou Nogueira. A média atual nacional de produtividade está em 3,64 arrobas por hectare ao ano e em 2022 deve alcançar 5,36 arrobas por hectare ao ano.
 
Nos três dias, desde o último domingo, em que a Equipe 2 do Rally da Pecuária percorreu os municípios e estabelecimentos do Pará, observou-se uma preocupação dos pecuaristas com o melhor manejo das pastagens. “Mas ainda são poucos que trabalham nisso. No geral, o pessoal é meio leigo nesse assunto por aqui”, disse o pecuarista Marco Antonio Rezende Marques, da Fazenda Nascente do Rio Pardo, de São Félix do Xingu, que faz a cria de animais. Marques já realiza algumas ações em manejo de pastagens, preocupação herdada dos 10 anos em que foi agricultor no sul de Goiás.
 
O Rally da Pecuária, organizado pelas consultorias Bigma e Agroconsult, passará por nove Estados brasileiros, percorrendo cerca de 40 mil quilômetros, onde estão concentrados 75% do rebanho e 85% da produção de carne bovina do País. Nessa edição, serão realizados também encontros com produtores, além dos eventos já programados. Até a terça-feira, sexto dia do Rally, já haviam sido percorridos cerca de 10 mil quilômetros.
 
Nesta quarta-feira, a Equipe 2 do Rally percorrerá o trecho de Xinguara (PA) até Santana do Araguaia (PA) novamente, percorrendo aproximadamente 347 quilômetros. Até o próximo domingo, a expedição passará pelas cidades de Querência (MT), Água Boa (MT), Primavera do Leste (MT), encerrando o trajeto em Cuiabá (MT). *A reportagem viajou a convite da Agroconsult e Bigma.
 
Fonte:  Agência Estado / Avicultura Industrial