Durante as discussões para aprimorar os critérios de desempenho de inspeção e controle microbiológico no processo produtivo de mercadorias de origem animal, por meio da Comissão Científica Consultiva em Microbiologia de Produtos de Origem Animal, formada no âmbito do Ministério da Agricultura (Mapa), foram definidas as prioridades de trabalho.

 
Entre elas, estão a identificação do impacto de prevalência de patógenos (organismos capazes de causar doenças) de carnes bovinas, suínas e embutidos cozidos; além da capacitação do corpo técnico do sistema brasileiro de inspeções e o apoio ao grupo que trabalha no apoio técnico para criação de normativa para a produção agropecuária artesanal.
 

"A identificação de microorganismos patógenos nos produtos de origem animal permitirá que os programas oficiais apresentem uma abordagem preventiva, possibilitando alcançar as exigências mundiais de segurança de alimentos", afirmou a coordenadora do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Judi Nóbrega.
 

Também ficou acordado, durante o encontro, que os trabalhos serão realizados por meio de subcomissões. Nos próximos dias, o Mapa irá divulgar os nomes que comporão a comissão. O grupo será composto por membros da academia especializados nas áreas de carnes de ruminantes, equídeos, suídeos, aves, pescados, leite e produtos apícolas.
 

Criado em janeiro deste ano, o grupo atua no auxílio técnico ao Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) na revisão e no aperfeiçoamento de programas e análises críticas de resultados laboratoriais. A comissão também vai emitir pareceres e fornecer subsídios técnico-científicos em microbiologia de produtos de origem animal, além de elaborar propostas de normas e procedimentos que contribuam para o aperfeiçoamento da inspeção e atualização do sistema de inspeção.
 

Fonte: Mapa. Pela Redação. 20 de março de 2013