O ICP Frango/Embrapa chegou aos 162,92 pontos, contra 142,18 pontos de junho. No ano, o índice acumula uma alta de 24,44% e, nos últimos 12 meses, 30,73%. Já o ICP Suíno/Embrapa em julho foi de 165,54 pontos, contra 149,07 no mês anterior. Em 2012, a alta é de 17,37%, enquanto que nos últimos 12 meses acumula 20,16%.

 
O aumento nos índices confirma os prognósticos feitos no mês passado pelo Centro de Inteligência de Aves e Suínos (CIAS) da entidade com relação aos efeitos da seca nos Estados Unidos sobre os custos de produção.
 
– O futuro ainda é incerto, mas as cotações do milho e do farelo de soja devem continuar elevadas durante todo o segundo semestre e a pressão sobre os custos continuará. Ajustes na oferta continuarão sendo necessários para equilibrar este mercado e garantir rentabilidade aos setores –, disse o pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Jonas Irineu dos Santos Filho.
 
O ICP Suíno/Embrapa e o ICP Frango/Embrapa foram criados em 2011 pela equipe de sócioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A evolução nos últimos 12 meses, a estrutura de ponderação para os cálculos dos índices de custos de produção, as variações percentuais do mês e os acumulados no ano podem ser conferidos no site da CIAS.
 
Sobre os índices
 
O ICP Frango/Embrapa é referente aos custos de produção no Paraná, maior produtor de frangos do país, para o aviário tipo climatizado em pressão positiva, modelo referencial de produção. Já o ICP Suíno/Embrapa é obtido a partir de resultados de custos da produção de suínos em Santa Catarina, maior produtor nacional, em sistema tipo "ciclo completo", para o suinocultor empresário independente. Ou seja, não há um contrato de integração vertical por sítios como ocorre na produção de leitões e terminados.
 
Fonte: Rural BR
Foto: Rural BR