Os custos de produção de frangos de corte e de suínos caíram respectivamente 4,91% e 4,97% em março. O ICPFrango/Embrapa chegou aos 149,58 pontos, enquanto o ICPSuíno/Embrapa fechou o mês em 155,05 pontos, menores valores dos dois índices desde junho de 2012. Os números são da Embrapa Suínos e Aves de Concórdia (SC), unidade descentralizada da empresa de pesquisa agropecuária vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 
No ano, o custo de produção de frangos de corte acumula queda de 16,21%, influenciada principalmente pela baixa nos gastos com a ração das aves (-17,53% em 2013). Já o custo de produção de suínos chega a -14,06% nos três primeiros meses de 2013, também reflexo da diminuição dos gastos com a ração (-15,28%). A nutrição representa, em média, 70% dos custos de produção dos frangos de corte e 75% dos custos de produção de suínos. 
 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e da Conab. O ICPFrango/Embrapa é referente aos custos de produção no Paraná, maior produtor de frangos do país, para o aviário tipo climatizado em pressão positiva, modelo referencial de produção. Já o ICPSuíno/Embrapa é obtido a partir de resultados de custos da produção de suínos em Santa Catarina, maior produtor nacional, em sistema tipo "ciclo completo", para o suinocultor empresário independente (não há um contrato de integração vertical por sítios como ocorre na produção de leitões terminados em sistema de comodato).
 
Fonte: Embrapa Aves e suínos