Ao realizar um balanço de seu primeiro ano à frente da pasta, o ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, disse na terça, dia 12, que o consumo de pescado aumentou no país, mas também fez um alerta para a necessidade de o setor pesqueiro ampliar a produção.
 
– Se aumentar o consumo sem produção, sobe o preço. Subindo o preço, dá inflação, e isso é ruim para nós todos – disse. Para ele, a presidenta Dilma Rousseff acertou ao lançar o Plano Safra da Pesca e Aquicultura, que destina R$ 4,1 bilhões em crédito e investimentos para o setor. O plano garante assistência técnica, renovação da frota pesqueira e apoio às comunidades pesqueiras. A estimativa é que a produção nacional do pescado atinja dois milhões de toneladas até 2014. Em 2012, a produção brasileira foi de 44,5 mil toneladas.
 
 Para este ano, o objetivo é alcançar 126 mil toneladas. – No Brasil, temos uma tradição: todo mundo no campo tem uma horta e uma galinha. Agora, precisamos criar a tradição de as pessoas terem um tanque para criar peixe.
 
Assim, o Brasil vai estar à altura dos recursos naturais que possui e ser um dos maiores produtores do mundo. Essa foi a principal preocupação do ministério nesse ano que passou – afirmou Crivella. Entre as conquistas registradas em 2012, o ministro Marcelo Crivella destacou a nova Carteira do Pescador Profissional, que deixou de ter prazo de validade e simplifica o acesso a benefícios sociais. Neste ano, o ministério deve contemplar mais de um milhão de pescadores com a carteira em todo o país.
 
– A carteirinha precisava ser renovada todo ano e, para um pescador que vive em áreas remotas do Amazonas ou do Pará, isso era um sacrifício terrível. Agora, eles vão receber uma carteirinha, impressa em polioretano, com fotografia e dados biométricos. Ali, eles vão ter um documento com a duração de um CPF ou de uma carteira de identidade. Não precisa mais renovar, e isso vai facilitar muito a vida deles – concluiu.
 
O Ministério da Pesca também divulgou que, no ano passado, foram distribuídos 124 equipamentos a quase nove mil famílias de pescadores para a construção de viveiros escavados. Para 2013, a meta é entregar 350 máquinas, o que deve beneficiar 25 mil famílias.
 
Fonte: Agência Brasil e Canal Rural