Como alternativa para elevar a produtividade no campo, pecuaristas do sudeste e médio-norte de Mato Grosso estão se destacando como maiores confinadores do estado. As duas regiões, juntas, representam metade da quantidade de animais confinados em 2012 em todo o Mato Grosso.
Dados de um levantamento feito pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) apontam que o sudeste mato-grossense é a região que mais se confina gado. Estima-se que os produtores desta região são donos de um rebanho de 205,9 mil animais. Já no médio-norte, segunda região com maior número de animais confinados, somam 194,5 mil gados criados pelo sistema de confinamento.
Nas duas regiões foi registrado crescimento médio de 4,5% no confinamento de gado em 2012 comparado com o ano anterior. Mesmo com os números expressivos, não foram suficientes para elevar a produção de gado confinado no total do estado. O Imea aponta que houve uma queda de 2,5%, passando de 813,9 mil animais para 792,7 mil animais no ano passado.
O analista de pecuária do Imea, Fábio da Silva, explica que a crise nas pastagens e o manejo inadequado das forrageiras forçaram os produtores a procurar alternativas para equilibrar o tamanho do rebanho. Ele ressalta que, mesmo assim, o rebanho total (confinado ou não) de Mato Grosso ficou 2% menor, atingindo 28,6 mil animais em 2012.
Fonte: Agrodebate