Agro em Questão acontecerá no dia 1º de fevereiro, em Brasília
 
A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoverá o evento Agro em Questão: Financiamento para o Agronegócio, no próximo dia 1º de fevereiro, na sede da CNA, em Brasília. O encontro vai debater os desafios e alternativas para garantir o crescimento do setor.
A cada safra, fica mais evidente que a sustentação do crescimento da agropecuária brasileira depende da pulverização das fontes de financiamento do setor e da maior inclusão financeira dos produtores rurais, independente do tamanho da propriedade.
O Agro em Questão vai discutir a ampliação do acesso dos produtores ao mercado financeiro, seja por meio do crédito bancário ou de novas fontes de financiamento, como os títulos do agronegócio.
“Hoje, o crédito oficial representa, aproximadamente, 37% dos recursos utilizados na safra brasileira. Esse índice vem caindo todo ano e outras formas de financiamento estão surgindo”, explica o Superintendente Técnico da CNA, Bruno Lucchi.
A programação será dividida em três painéis: Panorama do Financiamento para o Agronegócio – visão do produtor, Visão do Governo sobre o Financiamento para o Agronegócio e Fontes de Mercado para o Financiamento do Agronegócio.
A abertura do evento contará com a presença do presidente da CNA, João Martins. Entre os palestrantes dos painéis estarão autoridades e lideranças do setor, como o presidente da Comissão Nacional de Política Agrícola da CNA, José Mário Schreiner, o presidente da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), Márcio Lopes de Freitas, a deputada federal Tereza Cristina e a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi.
O painel que trata de fontes alternativas de financiamento para a agropecuária contará com a presença do executivo da Ecoagro Securitizadora, Moacir Teixeira, do diretor de Agronegócios do Banco Santander, Carlos Aguiar, e com a diretora de Desenvolvimento de Mercado da Climate Bonds Initiative, Justine Leigh-Bell. A mediação dos debates será feita pelos jornalistas Alexandre Garcia e João Borges.Fonte: Suinocultura Industrial