Considerando-se que há cinco anos Hong Kong é apenas uma região administrativa especial da China e, portanto, território chinês, pode-se concluir que a China foi, no primeiro semestre de 2012, o segundo maior importador da carne de frango brasileira, ficando atrás, somente (mas por diferença pequena), da Arábia Saudita e deixando para trás o Japão, durante muito tempo principal adquirente do produto brasileiro.
Isoladamente, Hong Kong e China colocam-se (no tocante à receita cambial) na quarta e quinta posições. Mas a soma das duas receitas chega a US$513,4 milhões (93% da receita propiciada pela Arábia Saudita), enquanto em volume as importações chinesas (290,1 mil/t), ficaram apenas quatro mil toneladas aquém das importações sauditas.
Segundo dados Avisite a queda de vendas para o Japão foi quase totalmente compensada com o aumento de vendas para a China. Ou seja: o Japão adquiriu 35,5 mil/t a menos e a China 35,2 mil/t a mais. Mas os cortes exportados para a China têm muito menos valor agregado que os exportados para o Japão. Em consequência, o aumento da receita chinesa não cobriu nem a metade da redução de receita japonesa. Isto, ainda que se juntem os aumentos de receita propiciados por China e Hong Kong.
Fonte: Avi cultura industrial