Depois de apresentar resultados negativos durante parte do ano, a receita cambial obtida com a exportação de carnes registra ligeira reversão e, no acumulado dos 10 primeiros meses de 2012, apresenta variação positiva de 0,13%, o que, na prática, configura “empate técnico” com o que foi alcançado em idêntico período do ano passado.

 
Não foi o volume que afetou esse resultado, pois, entre janeiro e outubro, ele aumentou perto de 5% e superou os 5 milhões de toneladas (4,827 milhões de toneladas nos 10 primeiros meses de 2011). Em outras palavras, o que impede receita maior é o preço médio, inferior para, praticamente, todas as carnes (a única exceção, no período, ficou com a carne bovina industrializada).
 
De toda forma, a receita acumulada poderia ter sido ligeiramente superior não fosse a carne de frango puxar os resultados para baixo. A combinação, no período, de embarques praticamente similares aos do ano passado (expansão de apenas 1,39%) e a redução de mais de 6% no preço médio resultou em uma receita cambial quase 5% menor que a obtida entre janeiro e outubro de 2011, neutralizando os aumentos de cerca de 7% na carne bovina, de 4% na carne suína e de mais de 8% na carne de peru.

 

 
 
 
Fonte: Avisite