Ainda que os preços de venda no mercado de frango tenham tido relativa sustentação, a combinação da alta dos principais insumos com crédito limitado para a atividade ocasionou, nos últimos meses, a demissão de mais de 5.000 pessoas, segundo a União Brasileira de Avicultura (Ubabef).
 
Além disso, a sociedade pode ser prejudicada também pela diminuição do volume de animais abatidos, o que tende a elevar os preços da carne – de fato, as cotações do frango vivo e da carne voltaram a subir na maioria das regiões pesquisadas pelo Cepea. Os preços do farelo de soja, em termos nominais, bateram recorde em agosto. Quanto ao milho, o preço médio da saca de 60 kg esteve, neste mês, nos patamares mais altos do ano.
 
No atacado do Estado de São Paulo, entre os dias 23 e 30 de agosto, a média de preços do frango inteiro congelado caiu 3,3%, passando para R$ 3,27/kg nessa quinta-feira, 30. Quanto ao frango resfriado, o preço do quilo caiu 0,7% no período, a R$ 3,28/kg.
 
Fonte: CEPEA/ESALQ.