Skip to main content

As indústrias de alimentos BRF Brasil Foods (BRFS3; 1,93%, a  R$ 33,80) e JBS-Friboi (JBSS3; 1,13%, a R$ 7,15) puxaram as valorizações do setor de consumo no pregão de ontem (10/05). Ainda na mesma área, a concorrente Marfrig (MRFG3; -0,52%, a R$ 9,55) amargou queda. Na índustria de bebidas, as preferenciais da Ambev (AMBV4; -0,47%, R$ 77,79) também não tiveram bom desempenho.
  
Outro setor que contabilizou valorização foi o setor de educação. A Anhanguera (AEDU3; 2,89%, a R$ 27,01) e a Estácio Participações (ESTC3; 1,80%, a R$ 25,45) ficaram no campo positivo. A Estácio teve lucro líquido consolidado de R$ 39,9 milhões, avanço de 39% no primeiro trimestre deste ano.
  
Na indústria de cosméticos e medicamentos, a Hypermarcas (HYPE3; 0,91%, a R$ 12,15) foi outra a encerrar o pregão na BM&FBovespa com valorização das ações. E na área de tabaco, a Souza Cruz (CRUZ3) subiu 0,36%, com papéis negociados a R$ 27,20.
  
Também ficaram no campo positivo a Dasa (DASA3; 0,51%, a R$ 13,65), Multiplus (MPLU3; 1,21%, a R$ 45,93). A Localiza (RENT3) manteve-se estável a R$ 30,85. O Indice de Consumo (Icon) avançou 0,44%, a 2.014,25 pontos.
  
No mercado internacional, os American Depositary Receipts (ADRs, recibos de ação de empresas estrangeiras negociados na Bolsa de Valores de Nova York) da Brasil Foods (BRFS) valorizavam 1,93%, a US$ 17,41. Os ADRs ligados às ações ordinárias da Ambev (ABV_C) subiram 0,12%%, a US$ 33,03. Por outro lado, os ligados às ações preferenciais da companhia (ABV) recuaram 0,20%, a US$ 39,78.
Fonte: Suinocultura Industrial