A nova versão do Sistema Mundial de Informação Zoosanitária (WAHIS, sigla em inglês) da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, sigla em inglês), lançado na última segunda-feira, 27 de agosto, em Paris, contou com a colaboração do Brasil. Segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Guilherme Marques, a ferramenta foi aprimorada ao longo dos últimos seis anos e recebeu contribuições dos técnicos brasileiros.
 
“O Brasil, como um dos países membros, vem sistematicamente contribuindo com o aperfeiçoamento do sistema e do Código Sanitário da OIE. Acreditamos que essas melhorias trarão mais agilidade e clareza nas informações divulgadas sobre a saúde animal em todo o mundo”, avalia Marques, que também é vice-presidente da Comissão Regional da OIE para as Américas.
 
A segunda edição do WAHIS passará a contar com uma seção específica para a notificação de enfermidades de animais silvestres. Isso permitirá aos membros complementar a informação obrigatória sobre as enfermidades da lista da OIE que afetam essas espécies e notificar, com caráter voluntário, doenças específicas da fauna silvestre não-inscritas na lista oficial da Organização.
 
A nova versão prevê ainda a possibilidade de identificar pela família taxonômica e pelo nome em latim espécies silvestres afetadas e disponibiliza uma base de dados integrada que contém a lista de espécies silvestres susceptíveis por enfermidade. Os países também podem selecionar as enfermidades presentes em seus territórios, oferecer informações mensais sobre essas doenças durante um semestre em curso e completar o resto dos dados solicitados ao final de um semestre.
 
Fonte:  Mapa