A esperada aprovação pelo Senado Federal da Medida Provisória 647/2014, nesta terça-feira (2), deverá instituir definitivamente o teor de 7% de biodiesel em todo o diesel B consumido no Brasil. Trata-se de um importante passo para a consolidação do setor e para reduzir a exposição do Brasil às oscilações de preços dos derivados de petróleo no mercado internacional.
 
Somente em 2014, estima-se que sejam economizados mais de R$ 800 milhões em importações de diesel mineral. Para 2015, com a aprovação da MP 647, mais de R$ 2 bilhões deixarão de ser gastos com a importação brasileira de diesel fóssil.
 
As trajetórias de preços do biodiesel e do diesel mineral revelam, também, contenção dos preços ao consumidor.
 
Em dezembro de 2012, o biodiesel utilizado no Brasil foi comercializado a R$ 2,68/litro, em média. Doze meses depois, em dezembro de 2013, o preço desse mesmo biocombustível foi de R$ 1,94/litro. A queda de mais de 27% no valor do produto contribuiu para frear a inflação, haja vista que, no mesmo período, o preço do diesel mineral teve um acréscimo de 15%.
 
Neste ano, de janeiro a agosto, o biodiesel acumula uma redução de valor de 8,6%. No mês passado, o preço foi de R$ 1,88/litro. Simultaneamente, o diesel B, vendido nos postos de combustíveis brasileiros, teve alta de 0,5%, em média, sendo que o diesel S-10, com baixo teor de enxofre, subiu 0,9% no período, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
 
O mercado não descarta, ainda em 2014, reajustes nos preços dos derivados de petróleo. Caso isso aconteça, o biodiesel contribuirá ainda mais para a manutenção dos preços dos combustíveis ao consumidor.
 
Além de aportar alívio à pressão inflacionária, o biodiesel traz outros benefícios: geração de riqueza no interior do País; distribuição de renda aos mais de 80 mil agricultores familiares integrados ao Programa de Biodiesel; agregação de valor à sojicultora e ao sebo bovino; redução das emissões de Gases do Efeito Estufa e de outras substâncias nocivas à saúde humana.
 
Esses e outros fatores positivos serão amplificados e trarão mais bem-estar à sociedade brasileira com a aprovação da Medida Provisória 647/2014.
 
Por Agrolink