Visão e Comprometimento que Conquistou o Brasil
 
 
A Hipala Hidrogenação e Ingredientes ltda., localizada em guarulhos (SP), iniciou suas atividades em 1997 e tem como missão a geração de parcerias duradouras levando em conta o respeito com fornecedores e cliente. É uma empresa focada em qualidade e em sustentabilidade, que desde sua inauguração prima pela qualidade de seus produtos e pelas parcerias construídas nestes 18 anos de atuação no mercado. conheça a empresa e seus projetos na entrevista realizada com o sócio-diretor da empresa, sr. José Gomes.
 
ABRA – Quais são as linhas de produção que a empresa fornece e qual a capacidade ?
SR. José Gomes – Nosso ponto forte é  acomercialização de Farinhas de Vísceras,Farinha de Penas e Farinha de Peixe.Trabalhamos também com outras farinhas.Atuamos também com o fornecimento de óleos e gorduras de origem animal e vegetal  para bioenergia.Nossa capacidade de atendimento depende muito do mercado,já que fazemos a comercialização.
 
ABRA – A Hipala recolhe óleo de fritura usado para o uso de biodiesel. Como é executada essa atividade?
 Sr. José Gomes – Esse é um projeto muito interessante,pois além de fomentar a coleta seletiva temos desenvolvido uma conscientização na população de nossa região a questão da sustentabilidade ambiental mais também a social.Hoje boa parte do óleo  (de frituras) que coletamos e transformado em  cidadania,devolvemos um percentual a APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais.Essa atividade de coleta seletiva de OGR (Óleo recuperado de Fritura) trata de recolhemos esses resíduos,tratamos e os transformamos em energia limpa.Trabalhamos com quantidade próxima a 450 toneladas de OGR por mês dessa matéria-prima que é destinada à produção de biodiesel,mas temos a capacidade de processar o triplo.Esta é uma atividade que ainda depende de muita conscientização da população.
 
ABRA – Quais são os investimentos que a empresa tem feito em tecnologia e quais são os resultados?
Sr. José Gomes – A Hipala vem investindo em análises laboratoriais,tecnologia e em um controle de qualidade extremamente rígido.Através da busca pelo constante aprimoramento e dos melhores fornecedores do mercado temos conseguido conquistar e fidelizar nossos clientes através de parcerias sólidas pautada na confiança do melhor produto entregue.
 
ABRA – As indústrias da Reciclagem Animal lutam para serem reconhecidas como Empresas de Utilidade Pública. Qual a opinião da Hipala quanto a este tema?
 
Sr. José Gomes – A questão ambiental é o coração da nossa atividade.A nossa matéria prima quando não processada pode gerar um grande desequilíbrio no meio ambiente,e a nossa indústria faz esse processamento gerando o mínimo de contaminantes e o pouco que a atividade gera é tratado dentro das próprias plantas.Costumamos dizer no Setor que “Nosso DNA é sustentável”.Hoje a Hipala conta também com uma segunda marca que é a Hipala Ambiental,onde fazemos campanhas e cooperamos com o meio ambiente através das atividades de reciclagem de resíduos de origem vegetal que é óleo de fritura usado,que é extremamente poluidor.Fazemos a transformação deste resíduo em matéria prima que é transformada em produto com valor agregado para o biocombustível por exemplo.Dentro da Hipala Ambiental contribuímos ainda com o bem estar social,beneficiando diretamente instituições com o repasse de uma quantia da coleta de óleo de fritura transformada em dinheiro para instituições sociais que são nossas parceiras como as APAES e a Pastoral da Ecologia.
 
ABRA – São Paulo é uma metrópole comercial que oferece a maior variedade de serviços e indústrias. O que se pode considerar uma diferencial para a empresa frente a concorrência?
SR. José Gomes – Nosso diferencial é entender as necessidades do mercado com a flexibilidade exigida não descuidando da qualidade dos produtos e da satisfação dos nossos Clientes. Um bom exemplo disso é que a Hipala consegue inserção onde alguns fabricantes não conseguem até por que nossa especialidade é a comercialização de forma honesta e justa. Outro grande exemplo do nosso diferencial foi na produção de óleos.Apostamos no biodiesel,onde já havia uma prévia demanda e colhemos bons frutos.São Paulo é uma cidade que cativa pelo grande demanda de produtos,mas como empresários sabemos que devemos estar atentos a novos desafios e é claro preparados para mudanças e novas expectativas do mercado consumidor.
 
ABRA – Qual é a visão de mercado que a empresa tem e quais são as expectativas para 2015?
 
Sr. José Gomes – Como um dos maiores exportadores de carne,acho que o mercado brasileiro de farinhas e gorduras de origem animal ainda tem muito a avançar no mercado internacional.As nossas expectativas é de que consigamos nos firmar em um mercado mais seguro e que possamos driblar a crise e eventuais problemas que possam surgir.As indústrias devem seguir firmes para que não fiquem com a produção e rentabilidade comprometida.
 
ABRA – A Hipala participou recentemente de uma das ações internacionais da ABRA com parceria da Apex-Brasil. A empresa exporta? O que esperam do mercado externo?
 
Sr. José Gomes – Ainda não exportamos,estamos neste momento nos preparando para o mercado internacional.Como falei anteriormente somos muito cautelosos e gostamos de fazer tudo com muita seriedade,por isso estamos organizando nossa estrutura antes de nos lançarmos no mercado internacional.Para mercado externo temos muitas expectativas.É uma grande oportunidade para o nosso negócio,estamos trabalhando fortemente em cima dessa opção e nos adaptando para atender os  grandes compradores internacionais.
 
ABRA – Qual a importância da ABRA para a sua empresa?
Sr. José Gomes – A HIPALA considera fundamental o fortalecimento do mercado,e é isso que a ABRA vem fazendo.Para nossa indústria,tem sido fundamental o apoio conquistado da Apex-Brasil pela ABRA,onde junto às indústrias promove as exportações,um mercado ímpar para toda a cadeia.Vemos na ABRA a grande competência de representar o nosso setor,incentivando as boas práticas de fabricação e fomentando a geração de renda para as indústrias brasileiras tanto para o mercado interno como o externo.
 
Fonte: Revista Graxaria Brasileira, abril de 2015.