O Brasil poderá ter uma exportação recorde de soja na temporada 2013/2014 de 37,5 milhões de toneladas, caso se confirme a grande safra esperada para o país, informou nesta sexta-feira (24) a Abiove, associação que reúne as empresas de óleos vegetais.
 
Na temporada 2012/2013, a Abiove prevê exportação de 30,5 milhões de toneladas. A maior parte desse volume já foi embarcada, uma vez que as vendas estiveram mais aceleradas este ano e a última safra foi menor. Entre janeiro e julho, o Brasil já exportou 27,5 milhões de toneladas, segundo dados do governo.
 
Para a safra que será plantada a partir de meados de setembro e com colheita no início de 2013, a Abiove projeta uma produção recorde de 81,3 milhões de toneladas, o que superaria de longe a anterior, de 66,6 milhões de toneladas, e permitiria a exportação recorde no ano industrial 2013/2014.
 
"O Brasil será o maior produtor mundial enquanto os Estados Unidos não se recuperarem dos efeitos do clima adverso", afirmou a entidade em nota, acrescentando que a temporada 2013/2014 poderá ter recorde de processamento também (38,5 milhões de toneladas, ante 35,3 milhões em 12/13).
 
Na safra colhida no início de 2012, a seca afetou a produtividade no Sul, e o Brasil teve uma produção bem menor ante o recorde de cerca de 75 milhões de toneladas da produção colhida em 2011.
 
Para o novo ciclo, espera-se uma produção boa no Brasil em função de um crescimento de área por conta dos altos preços da soja no mercado internacional, que atingiram recordes na esteira da quebra de safra dos EUA.
 
Crescimento do plantio
 
"Os sojicultores brasileiros irão aproveitar a excepcional oportunidade de mercado proporcionada pelos elevados preços internacionais, decorrentes da quebra da safra norte-americana (14 milhões de toneladas), para expandir o próximo plantio da oleaginosa", afirmou a Abiove Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).
 
A entidade estima que o plantio deverá subir de 24,9 milhões de hectares para 26,9 milhões de hectares.
 
"Esse incremento de área se dará principalmente pela conversão de áreas de pasto degradado e daquelas ocupadas com milho, cuja produção está migrando para a chamada ‘safrinha’, que ocorre na entressafra da soja."
 
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ainda não divulgou sua projeção para o atual ciclo. A estimativa da Abiove está em linha com a de analistas privados e com a previsão do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).
 
O USDA projeta a nova safra brasileira em 81 milhões de toneladas. Caso o clima colabore e esse volume seja confirmado, o Brasil poderá produzir mais que os EUA, tradicionais líderes na produção de soja.
 
Fonte: G1