A alta na exportação brasileira de carne suína registrada no mês de setembro animou criadores que vendem o produto para o mercado interno. O envio de mais carne para o mercado internacional causa redução da concorrência no Brasil, o que começa a provocar reação do preço no país.

 
Esse foi o melhor resultado dos últimos dois anos. Em setembro o Brasil exportou 60 mil toneladas de carne suína, com aumento de 45% em relação ao mesmo período do ano passado. Os principais destinos da carne brasileira são Ucrânia, Rússia e Hong Kong.

 
Desde janeiro, os produtores têm dificuldades para manter os plantéis por causa do alto custo de produção, principalmente do farelo de soja e do milho usados na ração dos animais. Os bons resultados do último mês provocam a expectativa de um final de ano menos amargo.

 
Os produtores que abastecem o mercado interno também comemoram o aumento de envio da carne brasileira para o mercado externo. No Paraná, por exemplo, o preço do leitão deve subir, já que com o aumento da exportação tem menos oferta no mercado. Cada produtor paranaense tem recebido uma média R$ 2,70 pelo quilo da carne. A tendência é que nos próximos meses, o valor ultrapasse os R$ 3.

 
Fonte: G1