O Produto Interno Bruto (PIB) chegou a R$ 6,6 trilhões em 2017, registrando crescimento de 1%. A agropecuária registrou crescimento de 13%, o mais expressivo no ano, com destaque para a agricultura e a expansão nas produções nacionais de milho (55,2%) e soja (19,4%). Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (01/03) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
“Apesar do peso relativo menor, a safra recorde representou a principal contribuição para o resultado positivo do PIB no ano”, explica a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis.
Os dados do IBGE mostram que o resultado positivo foi devido à expansão de 0,9% do valor adicionado a preços básicos (composto pelas atividades de agropecuária, indústria e serviços) e a alta de 1,3% no volume dos impostos sobre produtos.
Os serviços tiveram variação positiva de 0,3%, influenciados pelo crescimento do comércio (1,8%) e das atividades imobiliárias (1,1%). Os valores da indústria tiveram destaques nos setores de indústrias extrativas (4,3%) e de transformação (1,8%). Já o volume dos impostos sobre produtos e serviços contribuiu com R$ 991,4 bilhões para o crescimento do PIB em 2017.
 
Taxa de poupança tem primeira alta desde 2013
Segundo publicação do IBGE, a taxa de poupança registrou a primeira alta desde 2013, apresentando valores que passaram de 13,9% em 2016 para 14,8% em 2017. Para os investimentos, os níveis chegaram a 15,6% do PIB, valor que ficou abaixo do registrado no ano anterior (16,1%), conservando a queda observada no período de 2013-2016.
 
Fonte: Avicultura Industrial