Skip to main content

 
Empresas e agroindústrias produtoras de carne de frango e ovos no Brasil suspenderam visitas de clientes e fornecedores às instalações com aves vivas, como medida preventiva para evitar a influenza aviária depois que já foram registrados casos em 33 países nos últimos meses, informou a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).
As visitas estão totalmente suspensas por 30 dias a partir desta terça-feira (10), inclusive de clientes brasileiros. A ABPA informou ainda que outras medidas para evitar a doença no país também estão sendo preparadas em conjunto com governos federal e estaduais.
Os produtores brasileiros já tinham proibido visitas de estrangeiros de países com focos ativos de influenza aviária e exigiam quarentena de 72 horas realizada dentro do Brasil para visitantes de países sem foco da doença.
O Brasil nunca registrou um caso de influenza aviária, mas casos da doença têm aumentado ao redor do globo desde o final do ano passado. Na semana passada, o governo do Chile informou que verificou um foco da doença na região de Valparaíso.
“Estamos fortalecendo nosso protocolo de biosseguridade, tornando ainda mais restritiva a circulação de pessoal e produtos dentro do processo produtivo, com total controle, inclusive, das equipes das empresas”, disse o presidente executivo da ABPA, Francisco Turra, em comunicado enviado à imprensa.
Segundo ele, a decisão por suspender visitas é parte de um grupo de medidas de biosseguridade estabelecidas pelo Grupo Estratégico de Prevenção de Influenza Aviária (Gepia), vinculado ao Conselho Diretivo da entidade.
A inexistência de registro de casos de influenza aviária no Brasil é uma das vantagens competitivas dos exportadores brasileiros, apontada por analistas como um dos fatores que deverão colaborar para alavancar os embarques de carne de frango do país em 2017.
 
Fonte: CarneTec