O Ministro Helder Barbalho, da Pesca e Aquicultura, acompanhado do Governador do Acre, Tião Viana, visitou nesta quinta-feira (29) o Complexo Industrial do Peixe – a Peixes da Amazônia S/A.  O complexo – instalado em uma área de 63 hectares, a aproximadamente 27 quilômetros da capital Rio Branco – inclui uma moderna central de produção de alevinos (filhotes de peixe), a primeira fábrica de ração brasileira especializada em peixes carnívoros e um frigorífico com capacidade para processar 70 toneladas de peixe por dia.
 
Para o Ministro Helder Barbalho, o projeto do Acre já se tornou uma referência não apenas para a Amazônia como para todo o Brasil. “Este projeto, pela sua diversidade e grandeza, merece ser uma referência para outros Estados do Brasil”. O ministro lembrou que o projeto mostra que a piscicultura é uma atividade econômica fundamental para a região Amazônica, por aquecer a economia, gerar proteína animal de excelente qualidade, garantir trabalho a milhares de pessoas e não comprometer o meio ambiente.
 
Com investimentos da ordem de R$ 80 milhões, o Complexo Industrial do Peixe é o resultado de uma parceira entre o governo acriano, fundos de investimento, grandes produtores e aproximadamente 3.500 pequenos produtores familiares, reunidos em associações e colônias de aquicultores.  Aproximadamente 25% das cotas são relativas à participação dos pequenos produtores.
 
Segundo Jaime Brum, consultor do projeto e um dos investidores, o Acre conta com uma lâmina d’água destinada à aquicultura da ordem de 2.500 hectares. O projeto do Complexo Industrial do Peixe atenderá a demanda de todo esse espaço de produção, mas terá como base a produção de mais de cinco mil viveiros escavados construídos nos últimos anos como parte da estratégia do empreendimento.
 
Na parte da tarde, ao visitar a fábrica de ração, o ministro confirmou convênios para a implantação de um Mercado do Peixe em Rio Branco e a implantação de dois mil viveiros escavados. Em conjunto, os convênios superam os R$ 5 milhões. O ministro se comprometeu a continuar apoiando outras iniciativas relacionadas ao projeto, que prioriza três espécies de pescado de alto valor agregado, ou seja, o pirarucu, o tambaqui e o surubim. A fábrica de ração foi projetada para produzir apenas produtos de alta qualidade, que permitem que os peixes aproveitem praticamente toda a ração consumida. A tecnologia  é ambientalmente correta, já que a conversão será completa e não haverá resíduos no meio ambiente.
 
Quase todo o complexo de pescado foi implantado com produtos e equipamentos nacionais. Apenas a fábrica de ração exigiu a importação de equipamentos da Europa, de última geração.
 
Em termos de mercado, o projeto atenderá  o Acre e outros Estados, mas também está prevista a exportação de pescado para os países vizinhos do Pacífico. No caso do Acre, parte da produção será destinada à alimentação escolar.
 
O Governador Tião Viana convidou o Ministro Helder Barbalho para, em breve, participar da inauguração oficial do frigorífico de peixe do complexo, atualmente em fase de testes operacionais. Ele agradeceu o apoio do Governo Federal à iniciativa. Para o governador, a criação de pescado é um dos focos estratégicos da economia acriana. Participaram da visita ao Complexo Industrial, com a presença do ministro, dezenas de autoridades estaduais e municipais, bem como produtores e investidores.
 
Fonte: MPA