A Associação Brasileira de Reciclagem Animal estará na China entre os dias 16 a 26 de setembro realizando uma Missão Chinesa para promover as farinhas e gorduras de origem animal e quebrar as barreiras de exportação para o país.
 
A agenda no país faz parte do convênio firmado entre a ABRA e a Apex-Brasil para o Programa Brasileiro para a Expansão das Exportações de Farinhas e Gorduras de Origem Animal.
 
De23 a 25 de setembro a ABRA participará da China International Livestock Industry week  -VIV China 2014 no Tech Convention and Exhibition Center em  Beijing.
 
A VIV é um dos mais importantes e tradicionais para a cadeia de carnes no mundo. A primeira edição aconteceu em 1960 na Europa e hoje é realizada nos cinco continentes. A VIV China 2014 contará com 136 expositores .
 
A ABRA representará as indústrias brasileiras de Reciclagem Animal, reforçando a importância e seguridade das farinhas e gorduras de origem animal, já que o Brasil é um país livre de doenças como a influenza aviária e  a EEB em um cenário em que cada vez mais o consumidor exige a referência sobre os produtos.
 
 A forte tendência de crescimento da produção de carnes e de ração animal na China, representa uma grande oportunidade para o setor de Farinhas e Gorduras de Origem Animal, uma das matérias-primas para a produção de rações, biodiesel, indústria de higiene e limpeza entre outros.
 
Mercado Chinês
 
A China é a segunda maior economia mundial e em termos de comércio internacional é o maior parceiro do Brasil.
 
Entre 1990 e 2011 houve um aumento expressivo do consumo de carnes no país de 66% na zona rural e 40% na urbana. O país é o maior produtor de carne suína e onde há um crescimento dinâmico na produção de aves. Esses são fatores que contribuem para a grande produção de ração no país, atualmente, é a segunda maior do mundo, produzindo apenas em 2012 198 milhões de toneladas.
 
Apesar do alto volume de produção, a indústria de ração animal é ainda segmentada e pouco mecanizada. O atual processo de industrialização da pecuária tem elevado a demanda e contribuido para a consolidação do setor, onde houve redução de 13 mil fábricas em 2008 para 10 mil em 2010.
 
A China já está entre as sete maiores importadoras da farinhas e gorduras de origem animal para a produção de ração animal. Entre os mais comprados estão a farinha de peixes, o sebo bovino e a farinha de carne e ossos.
 
O mercado de rações será abordado durante a feira em uma das Conferências, direcionadas para a Aquicultura.
 
Para mais informações sobre a VIV China acesse o site oficial do evento: http://www.vivchina.nl
 
A ABRA estará localizada no estande W02. Q084