Skip to main content

Durante o encontro, Ministro Blairo Maggi defendeu que as empresas do agronegócio brasileiro criem programas de compliance
 
A ABRA – Associação Brasileira de Reciclagem Animal marcou seu espaço com a presença da gestora da entidade, Catia Macedo, na reunião que fez balanço das cerca de 500 medidas já adotadas por meio do Plano Agro+, lançado no ano passado e voltado à desburocratização e à modernização do agronegócio. A reunião aconteceu na quarta-feira (3), em Brasília e contou com mais de 50 entidades representativas do setor agropecuário.
Durante o encontro o Ministro Blairo Maggi defendeu que as empresas do agronegócio brasileiro criem programas de compliance – conjunto de práticas destinadas ao cumprimento de normas e regulamentos governamentais ou do próprio setor privado –, a exemplo do que foi lançado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no início do mês passado. O Mapa também vai instituir um selo de qualidade para as empresas que atenderem padrões de qualidade, baseados nos eixos de sustentabilidade, conformidade e responsabilidade social. Na avaliação do ministro, o apoio empresarial à iniciativa do Mapa deve contribuir para fortalecer a imagem da agropecuária nacional nos mercados interno e externo e evitar fraudes contra o consumidor.
Ao falar sobre o programa de compliance do Mapa, Maggi destacou que a iniciativa é igualmente essencial para o setor privado. “Esses programas também são importantes para os dirigentes das empresas, porque eles terão como atestar, em caso de alguma situação excepcional, a recomendação prévia e por escrivo de regras e procedimentos. Isso pode evitar acusações e até multas pesadas”.
Durante coletiva de imprensa ao final da reunião, o ministro disse ainda que o Mapa está trabalhando para normalizar a situação das carnes brasileiras nos mercados interno e externo. De acordo com ele, isso exigirá um esforço com os importadores para mostrar a qualidade e a sanidade dos produtos cárneos brasileiros. “Temos que reconquistar a confiança plena não só do mercado externo, mas também do interno”. O Secretário-Executivo do Mapa, Eumar Novacki, reforçou a relevância do programa de compliance. “Essa é uma iniciativa que vai trazer mais transparência ao setor”, assinalou Novacki. “O Mapa atestará a adoção de boas práticas por meio de um portal de transparência e do selo que confirmará o cumprimento pelas empresas do agronegócio de rígidos padrões de sustentabilidade, conformidade e responsabilidade social”.
 
Fonte: Assessoria de Comunicação ABRA com ASCOM MAPA