A Associação Brasileira de Reciclagem Animal – ABRA participou na última quarta-feira de debates durante o seminário de Segurança e Saúde do Trabalho que apresentou os dados do setor frigorífico.
 
O debate foi realizado pela Confederação Nacional da Indústria – CNI, o Serviço Social da Indústria – SESI, com a União Brasileira de Avicultura – UBABEF, a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína – ABIPECS, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne – ABIEC e a Associação Brasileira de Frigoríficos – ABRAFRIGO no auditório da CNI em Brasília.
 
O Sr. Ariel Antônio Mendes,diretor de produção e técnico – científico da Ubabef falou sobre a visão social perante a cadeia produtora de carnes. “Hoje nós estamos em evidência. Isso por questões ambientais de sustentabilidade, de bem-estar dos nossos trabalhadores e também dos animais que serão abatidos. Esse tem sido o dia-a-dia das nossas empresas e nenhum desses setores tem sido esquecido” afirmou.
 
Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, o Brasil abateu até outubro de 2012, cerca de 19 milhões de cabeças de bovinos, 27 milhões de cabeças de suínos e 4,2 bilhões de cabeças de aves.
 
O Sr. Ariel ainda destacou o crescimento do consumo externo das carnes brasileiras. “O Brasil é um mercado muito importante no setor de carnes. Cerca de 30% da nossa produção é exportada”diz.
 
Ciclo Sustentável
 
As indústrias de Reciclagem Animal são consideradas como a ponta para a cadeia de carnes. Sem essas indústrias todos os resíduos gerados do abate de animais que são alto contaminantes não teriam destinação correta. Esses resíduos em contato com o meio ambiente entram rapidamente em processo de decomposição contaminando o solo, a água e o ar.
 
De cada animal abatido, cerca de 50% não é aproveitado para o consumo humano. Essas partes não comestíveis servem como matéria-prima para as indústrias de Reciclagem Animal que os transforma em novos produtos como farinhas e gorduras de origem animal que são destinados aos mercados de higiene e limpeza, cosméticos, ração de aves e suínos, aquicultura e pesca, pet food, biodiesel entre outros mercados, movimentando mais de R$ 6 bilhões e gerando mais de 65 mil empregos diretos.