A Feira para a cadeia produtiva de aves e suínos foi realizada no Centro Sul (Centro de Convenções de Florianópolis), Florianópolis,  no estado de Santa Catarina – o berço da suinocultura e da avicultura no Brasil.
 
Depois de um ano difícil para os produtores de gado no Brasil, marcos por um aumento dos custos na produção e liderados pelo aumento dos custos  de alimentação do ano passado, a 12ª trouxe aos  produtores como explorar juntos as novas oportunidades de 2013 e outros anos. Na verdade, com o número estimado em 200 milhões de dólares em negócios fechados na Avesui este ano, o evento impulsionou a indústria em grande forma.
 
A feira contou com mais de 150 empresas nacionais e internacionais apresentando produtos e serviços para 17.800 visitantes locais e estrangeiros, incluindo Estados Unidos, China, Alemanha, Argentina, Holanda, África do Sul, Nigéria, Peru e Angola.
 
O evento ganhou crescente interesse internacional , marcado por companhias chinesas buscando a porta de entrada para os mercados nacionais e latino-americano. De acordo com Andrea Gessulli, diretora da Avesui, o crescente interesse era orgânico . Há três anos havia apenas um pavilhão chinês no evento e neste ano o evento possui três pavilhões chineses, com estandes maiores e mais elaborados.
 
Neste ano, 60 do 150 expositores foram empresas chinesas. Incluindo empresas de alimentação e máquinas como a Zhengchang e Grupo Muyang, um grande número de empresas de aditivos alimentares , como a Sichuan Chanhen Chemical Corporation e Yunnan Xinlong Mineral Animal Feed sociedade limitada e os sistemas de criação de animais de empresas e equipamentos.
 
Outros expositores internacionais incluíram máquinas de alimentação como os fornecidos pela Andritz. O manuseio de ovos providos pelo sistema Moba e o adivitivo Famelco da empresa da empresa Dupont.
 
No 12º Seminário Internacional de Aves e Suínos, especialistas do Brasil, Estados Unidos e Bélgica abordaram novas tendências no manuseio de aves e suínos, saúde, bem-estar animal, nutrição, entre outros. O programa apresentado pela UFSM – laboratório LAMIC, da faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Unicamp e Agroceres PIC e Abegs recebeu resposta encorajadora. A tradução simultânea para o inglês estava dísponível em algumas sessões.
 
A Confefrência começou com “Os desafios do Agronegócio Competitivo” a abertura dos seminários específicos ficou por conta de especialistas como Leonardo Soluguren, sócio-diretor da Clarivi, uma consultoria focada nos agronegócios, Marcos Jank da Agroconsult, Dilvo Grolli, presidente da Coopavel, João Batista Olivi do Canal Rural, entre outros que discutiram as tendências e os desafios do Brasil e do impacto dos mercados globais chaves para o Brasil.
 
Os produtores de carne e especialistas em agricultura no Brasil renovaram seu otimismo nessa discussão sobre o futuro da avicultura no Brasil e a produção de suínos. Jank, entre outros oradores expressou otimismo no potencial para melhorar a tecnologia para melhorar a produção de milho e soja, melhorando assim a disponibilidade e acessibilidade de alimentos para produtores de carne.
 
Em particular a aplicação de uma segunda, ou terceira colheita em um ano, juntamente com a genética, as máquinas e a utilização de fertilizantes e pesticidas, irá aumentar o rendimento mais perto dos produtores, tais como Estados Unidos.
 
No entanto esses especialistas advertiram que a indústria só pode atingir o seu potencial se as instalações ferroviárias e portuárias forem melhoradas para suportar o transporte e exportação. A cooperação no âmbito da indústria é apertado e um quadro regulamentar de apoio do governo para a indústria está disponível.
 
A Feira de Biomassa e Bioenergia e o II Painel Novos Horizontes para Reciclagem Animal tomaram lugar ao lado da Avesui , trazendo o setor avícola e setores das energias renovaveis em conjunto para trazer a sinergia com a cadeia de proteína, geração de energia e proteção ambiental.
 
O Painel de Biomassa e Bioenergia foi apresentado pela Embrapa sobre “Compostagem e geração de energia na Avicultura e Suinocultura” . O II painel de Reciclagem Animal foi apresentado pela Associação Brasileira de Reciclagem Animal – ABRA que destacou a crescente importância da prestação na produção pecuária e do impacto econômico e ambiental positivo resultante. A ABRA se apresentou o setor como uma solução sustentável para a cadeia de carnes e como conhecimento prático  sobre a  legislação aplicável.
 
Reunindo os maiores atores do agronegócio amaericano, brasileiro e asiático sob o mesmo teto, a Avesui se tornou uma das maiores feiras do agronegócio das Américas. Com o Brasil e a América-Latina assumindo papeis cada vez mais importantes na alimentação  mundial e os mercados de carne, a sua contínua ascenção é garantida.
 
Por:  Geraldine Ee – http://www.efeedlink.com