Skip to main content

O mercado atacadista de carne bovina se recuperou, depois de sucessivas desvalorizações.

O reajuste médio nos últimos sete dias foi 0,7%. A alta foi puxada pelos cortes de traseiro, 1,6% mais caros na semana.

Isso demonstra que o varejo se prepara para o período de vendas melhores típico de início de mês, o que aumenta a demanda no atacado.

A expectativa é de que, além do início de mês, o comportamento sazonal de final do ano, com contratações temporárias, décimos terceiros salários e bonificações, aqueça ainda mais as vendas nos dois últimos meses do ano.

Apesar da margem da indústria que desossa estar em 24,0%, três pontos percentuais abaixo do resultado do mesmo período de 2012, a carne sem osso é vendida por um valor médio 7,0% maior.

Aliás, em quase todos os meses a carne bovina ficou mais cara que em 2012. Na média do ano, até o momento, os cortes foram entregues ao varejo por um valor 1,0% acima do observado no ano passado.

Com os abates sob Inspeção Federal (SIF), segundo o MAPA, crescendo 10,2% até setembro, os preços maiores demonstram que o consumo tem ajudado.

As exportações de carne bovina in natura estão 25,5% maiores este ano, no acumulado de janeiro a setembro (MDIC).
 
Fonte: Agrolink