Neste feriado de 02/nov fui com a família para uma praia no nordeste. Fomos de avião para Recife e depois pegamos um carro para Maragogi- AL. São 130km, e a estrada passa por “cidades reais, do lado de fora” dos hotéis e pousadas à beira-mar.

 
No caminho, passamos por um jipe puxando uma carreta com carcaças bovinas. A carne estava pendurada em uma carreta aberta, sem refrigeração. Infelizmente estas são as condições de abate e transporte ilegal de carnes em geral em grande parte do Brasil. A foto não ficou muito boa porque foi tirada de dentro do carro.
 
No outro dia, caminhando pela praia até a vila mais próxima, visitamos o mercado. Como esperado, a venda de carne era deprimente. Ao ar livre, com moscas, cachorros, pessoas e odores:
 

 

Felizmente só consumimos peixes e frutos do mar durante nossa estadia. E graças ao nosso auto-engano, estávamos convencidos de que eram produzidos/pescados e comercializados em condições mínimas para um consuno saudável.
 
Coincidentemente, na última semana de outubro, o canal de televisão Record publicou uma reportagem sobre abate clandestino de animais para comercialização de carne na BA e PE, veja:
 

 
Fonte: Marcelo Alcantara para o site beef point.