Analisada a evolução regional do abate inspecionado de frangos a partir do primeiro trimestre de 2009 – quando a avicultura brasileira passou a sentir, de forma direta, os efeitos da crise econômica mundial eclodida no final de 2008 – até o primeiro trimestre de 2013 (último dado divulgado pelo IBGE sobre o abate em estabelecimentos inspecionados), constata-se que apenas uma Região – o Sudeste – apresentou evolução abaixo da média.

Assim, enquanto nesses 17 trimestres o volume de carne de frango produzido nos estabelecimentos inspecionados aumentou pouco mais de 23%, o aumento da Região Sudeste (que chegou a se aproximar dos 30% no segundo trimestre de 2011) ficou em menos de 6%, além de apresentar queda contínua nos últimos quatro trimestres.
Portanto, aumentaram seus abates acima da média nacional as Regiões Sul (+24,54%), Nordeste+ Norte em conjunto (+27,84%) e, de forma mais significativa, o Centro-Oeste (+44,81%).

Com esses desempenhos, alterou-se também a participação regional na produção nacional. A do Sul subiu de pouco mais de 59% para perto de 60%, aumentando 1,20%, enquanto a do Centro-Oeste passou de 12,35% para cerca de 15%, aumentando 17,67%.

Apesar de terem apresentado expansão acima da média nacional, as Regiões Norte/Nordeste mantiveram praticamente inalterada sua participação na produção nacional, ou seja, permaneceram na faixa dos 6%, registrando expansão de 3,18%.

Já a participação do Sudeste teve queda significativa. De 22,46% do total no primeiro trimestre de 2009 para 19,22% no mesmo trimestre de 2013 – uma queda de 13,93% no espaço de quatro anos.
 

 
Fonte: Avisite