Depois de um início fraco, 2013 finalmente começa a acenar dias melhores para a avicultura paranaense. Pela primeira vez, o balanço do ano revela variação positiva dos números de produção. Dados divulgados ontem pelo Sindiavipar, sindicato que representa o setor no estado, mostram que, entre janeiro e abril, as indústrias paranaenses abateram 478 mil aves. O crescimento ainda é pequeno, de apenas 1%, mas reverte a tendência de queda registrada até março. No primeiro trimestre, a variação era negativa, de 2,2%.
 
Os abates diários ainda não recuperaram os níveis pré-crise, mas sinalizam o início de um processo de recuperação, defende o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins. No início de 2012, eram abatidas no Paraná mais de 6 milhões de cabeças de frango por dia. No mês passado, foram 5,7 milhões de aves/dia. “Acredito que a partir deste quadrimestre os números vão começar a melhorar. Não teremos crescimento chinês, mas vamos crescer pelo menos o triplo do PIB”, arrisca.
 
Com a demanda externa desaquecida, o avanço deve ser sustentado pelo mercado interno, segundo o dirigente. Ele contesta os números da UBABEF, entidade nacional de representação do setor, que indica uma retração no consumo doméstico no ano passado. “Essa estimativa de 45 quilos per capita considerava que se a crise continuasse apertando poderia encarecer o produto e diminuir o consumo, mas isso não ocorreu”, sustenta Martins. “Nosso mercado interno é muito vigoroso”, reforça.
 
O mercado externo, por outro lado, segue demandando menos. Entre janeiro e abril, o Paraná exportou 345 mil toneladas de carne de frango, 7,6% abaixo do volume embarcado no primeiro quadrimestre de 2012. Já o faturamento do setor com as vendas externas caminhou na contramão e aumentou 1,6%, para US$ 688,9 milhões.
 
Para fora
345 mil toneladas de carne de frango foram exportadas pelo Paraná até abril, 7,6% abaixo de 2012. Os embarques renderam ao setor US$ 688,9 milhões, 1,6% mais que no ano passado.
 
Fonte: Gazeta do Povo