Notícias

Notícias

Notícias ABRA

Dólar salta e vai a R$ 3,81, maior nível em mais de dois anos, mesmo com ação mais forte do BC

Apesar de o Banco Central ter ampliado com força sua atuação, o dólar saltou e fechou no patamar de 3,81 reais nesta terça-feira, o maior em mais de dois anos, em meio à piora da avaliação dos investidores sobre a cena política local e com o exterior pesando sobre os ativos

O dólar avançou 1,78 por cento, a 3,8100 reais na venda, maior nível desde 2 de março de 2016 (3,8877 reais). Na máxima do dia, a moeda norte-americana chegou a 3,8163 reais. O dólar futuro tinha alta de cerca de 1,65 por cento no final da tarde. “As perspectivas são muito ruins… A crise fiscal é séria”, afirmou o economista e sócio da NGO Corretora Sidnei Nehme. “A economia não anda, nem vai andar, porque empresários não vão investir com esse elevado grau de incerteza. Todo o cenário ficou ruim”, acrescentou ele. A moeda norte-americana já vinha operando com elevação desde a abertura dos negócios, influenciada pelo cenário político local, a poucos meses das eleições presidenciais, e pelo movimento no exterior, que ganhou força após dados mais robustos sobre a economia norte-americana. Juros elevados têm potencial para atrair à maior economia do mundo recursos aplicados hoje em outros mercados, como o brasileiro. A alta do dólar na sessão também foi influenciada pela cena política local, após a divulgação da pesquisa de intenção de votos do DataPoder360 que mostrou o candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) na segunda posição, atrás de Jair Bolsonaro (PSL), com Geraldo Alckmin (PSDB).

Fonte: REDAÇÃO REUTERS