Notícias

Notícias

Notícias ABRA

Cadeia de abate de suínos deixou de gerar R$ 500 mi durante greve

A paralisação de atividades da cadeia de abate de suínos no Brasil durante a greve dos caminhoneiros no fim de maio impediu a geração de cerca de R$ 500 milhões em receita para o setor, disse o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, à CarneTec nesta semana

“Houve a normalização do fornecimento de insumos e de ração, os frigoríficos começaram a abater, mas não recuperamos as perdas desse período… foram praticamente dez dias de mobilização e as perdas foram muito grandes”, disse Lopes. O setor está agora na expectativa da reabertura do mercado russo, que era o principal importador de carne suína brasileira até novembro do ano passado, quando as compras foram suspensas. “Existe uma promessa do governo russo de voltar a qualquer momento. Estamos nessa expectativa desde janeiro e não se concretiza”, disse Lopes. O México também vem demonstrando mais interesse no produto brasileiro desde o ano passado, segundo ele. O México também abriu uma cota livre de taxas para importação de 350 mil toneladas de carne suína de outros países. “A gente tem visto um movimento maior de interesse do México, mas eu vejo isto ainda com muita cautela”, disse Lopes sobre a probabilidade de que o Brasil ganhe acesso ao mercado mexicano de carne suína como uma das consequências da sobretaxação do produto norte-americano. O executivo considera que há possibilidade também de que os países norte-americanos possam acabar chegando a um acordo.

Fonte: CARNETEC